A BNCC e o aprendizado maker do NAV Digital

Já pensou que legal seria poder criar a sua própria câmera analógica? E com recursos super fáceis de serem encontrados em casa, como caixinhas vazias de remédio, caneta e fita-crepe? Funciona igual, só exige um pouco mais de imaginação – e possui alguns links curriculares com a BNCC!

Essa é a atividade Câmera Encantada que propomos no NAV Digital

Nela, nós ensinamos as crianças a montar uma máquina fotográfica com materiais reutilizáveis. Pedimos aos nossos makers que desenhem, no rolo da câmera, as imagens de como eles acreditam que serão as coisas no futuro.

Ao montarem a câmera e comporem os desenhos, as crianças estão imersas na disciplina de Artes, explorando as relações processuais entre diversas linguagens artísticas.

Enquanto isso, a aula incentiva os alunos a discutir sobre as transformações de sua cidade para a produção das imagens que idealizam o futuro. Assim, eles também aprendem História.

NAV Digital e os links curriculares com a BNCC

Cada uma dessas habilidades – entre outras que nem descrevemos – é um componente da Base Nacional Comum Curricular (BNCC)

E não é só essa atividade do NAV Digital que tem links curriculares com a BNCC. Você pode encontrar esses e outros em todas as nossas aulas, acompanhados de desafios mão na massa para que o aluno aprenda se divertindo!

Confira mais exemplos de como funcionam os links curriculares com a BNCC em algumas das atividades do NAV Digital!

Leia também: aprenda com a cultura maker sem sair de casa.

A BNCC no Recado Animado

Essa atividade foi pensada para desenvolver nos alunos do Ensino Fundamental Anos Iniciais as competências específicas de Língua Portuguesa, conforme a BNCC.

Além disso, os alunos são expostos a princípios da animação e da programação, utilizando o Scratch, linguagem de programação desenvolvida pelo MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts). Com ela as crianças podem facilmente criar, entre outras coisas, seus próprios recados animados.

Assim, induzimos a habilidade de planejar e produzir diversos gêneros textuais do campo da vida cotidiana. Para isso, levamos em conta como se dá o ato comunicativo e o tema/assunto/finalidade do texto. 

Essa mesma atividade inclui links curriculares com Geografia, ao abordar noções como distância, meios de transporte e de comunicação. Refletimos ainda sobre seus impactos no mundo em que vivemos e que outros modelos são possíveis para o mesmo fim.

Construindo Jogos com a BNCC

Nessa atividade, o foco é o desenvolvimento das habilidades da área de Língua Portuguesa. Entre os objetivos, estão a leitura e compreensão, além de planejamento e escrita de textos instrucionais, como regras de jogos.

Nas áreas de Geografia e História, a criança é convidada a refletir sobre as diferenças e semelhanças entre diversos jogos em diversos tempos, como forma de interação social.

Quando chega o momento de construírem seus próprios jogos de tabuleiro, os alunos mergulham na Matemática. Eles absorvem noções de geometria, pontos de referência, dimensões e sentidos. Além disso, exploram deslocamento e localização no espaço, utilizando e diferenciando termos como transversal, paralelo e perpendicular.

Os links curriculares com Matemática acabam se comunicando bastante com Artes. Isso porque são utilizados esquadros, réguas e softwares no processo de criação artística, proporcionando a familiarização com diferentes matrizes estéticas.

Aprender brincando traz mais resultados

O objetivo do NAV Digital é transformar o modelo educacional por meio da construção da aprendizagem de forma conjunta com os alunos e com a escola. E tudo alinhado com a BNCC! Para isso, oferecemos um suporte técnico, garantindo que todo o acesso da escola na plataforma seja simples e prático.

Além disso, para as escolas que finalizam a implementação, nós disponibilizamos os links curriculares com a BNCC de todas as nossas aulas. Assim, as atividades makers do NAV Digital são sincronizadas com o contexto das disciplinas presentes no ensino regular, proporcionando um aprendizado ainda mais significativo.

Nosso convite para que o aluno coloque a mão na massa é uma proposta para despertar sua curiosidade, levando-o a explorar o mundo que está se abrindo para ele, bem como a ser parte da sua construção.

Ou seja: incluir a Cultura Maker no currículo da sua escola significa formar protagonistas, pessoas questionadoras e capazes não só de encontrar, dentre as inúmeras possibilidades, o seu caminho para a própria realização, mas também de impactar positivamente e reinventar o mundo que as rodeia.

Quer implementar atividades makers não apenas alinhadas com a BNCC, mas também lúdicas e participativas? Leve o NAV Digital para sua escola!

O que achou?