Métodos Pedagógicos

Conheça 5 métodos pedagógicos utilizados no Brasil e suas características

Métodos pedagógicos são modelos teóricos que suportam a criação de currículos escolares e orientam os planos de aula. Eles abrangem desde a forma de como o conteúdo escolar é passado até como os professores devem se relacionar com seus alunos.

É a partir da escolha da linha pedagógica que a escola define:

  1. Quais conteúdos ela irá ensinar, tendo em vista também a Base Nacional Curricular Comum (BNCC);
  2. Como ela irá ensinar esses conteúdos;
  3.  Qual será a forma de avaliar o aprendizado dos alunos.
métodos pedagógicos em sala de aula
Os métodos pedagógicos especificam o papel e o relacionamento do professor em sala de aula.

5 métodos pedagógicos utilizados no Brasil

Existem dezenas de linhas pedagógicas, selecionamos as 5 mais comuns para detalhar suas características. São elas:

  1. Escola Construtivista
  2.  Escola Freiriana
  3. Escola Montessoriana
  4. Escola Waldorf
  5. Escola Tradicional

1. Escola Construtivista

Nessa abordagem pedagógica, que tem Lev Vygotsky e Jean Piaget como principais nomes, o aluno é o protagonista do seu processo de aprendizado. Ou seja, a educação não é uma simples transmissão de conhecimento, ela vai além, tornando-se um processo que dá suporte e permite o aluno criar e experimentar o conhecimento e o aprendizado.

Dessa maneira, o conteúdo e o ensino se tornam guias e ferramentas para que os estudantes construam o seu conhecimento por meio da resolução de problemas e formulação de hipóteses, valorizando os conteúdos e vivências anteriores de cada um. Não existe ninguém para dar as respostas, o aluno aprende a aprender.

Forma de avaliação: essa linha pedagógica foi pensada para não se usar avaliações e nem provas, dado que é um processo que cada aluno constrói o seu próprio conhecimento , logo é único e diverso.

Esse método pedagógico recebe algumas críticas por conta da aplicabilidade no contexto brasileiro, dada as condições estruturais das escolas, quantidade de alunos por sala e a forma de trabalho dos professores.

2. Escola Freiriana

Baseada na teoria de Paulo Freire, conhecido mundialmente pela autoria de Pedagogia do Oprimido, a escola freiriana também é conhecida como Educação Libertadora. Essa metodologia de ensino propõe o desenvolvimento da visão crítica do aluno por meio das práticas em sala de aula. Dessa forma, o professor deve apresentar os conteúdos para o aluno, mas não como uma verdade absoluta, pois na educação que Paulo Freire defendia o professor e o aluno aprendiam juntos.

Nessa pedagogia, o educador deve levar em conta os aspectos culturais, sociais e humanos de cada aluno, para ouvi-lo e entendê-lo melhor, afim de ajudá-lo a compreender e ler o mundo através do conhecimento. Segundo Freire, o conhecimento faz sentido para o estudante quando o transforma em sujeito que pode transformar o mundo, sendo então a educação uma forma de “libertar” o aluno.

Forma de avaliação: essa linha pedagógica, assim como a construtivista, foi pensada para não se usar avaliações e nem provas.

3. Escola Montessoriana

Para Maria Montessori, educadora italiana que criou esse método, as crianças tem a capacidade de aprenderem sozinhas. Em sua famosa frase “ensina-me a fazer sozinho”, Montessori ressalta a importância dos alunos desenvolveram a iniciativa e independência em seu processo de aprendizagem, e para isso, podem usar seu conhecimento prévio e experiências como meio de construir novos conhecimentos.

Nessa abordagem, também chamada de pedagogia científica, as salas são equipadas com diversos materiais e atividades e os alunos podem escolher o que irão fazer em cada dia. O professor tem papel de guia, tirando dúvidas e ajudando os alunos a superar as dificuldades, além de organizar a gradação das atividades para garantir a evolução de cada indivíduo. Desse modo os estudantes se desenvolvem de maneira ativa, criando um senso de responsabilidade pelo próprio aprendizado, exercendo a capacidade de fazer escolhas com independência e autonomia.

Uma das vantagens desse projeto educacional é que os alunos podem se desenvolver cada um no seu ritmo, dentro dos módulos obrigatórios propostos. As classes podem ser organizadas como no método tradicional ou por ciclos, com crianças de idades diferentes.

tabela-características-método-pedagógico-Montessori
Características de Escolas Montessorianas, considerando o currículo, os profissionais, a configuração do ambiente e a formas de avaliação

Forma de avaliação: A avaliação pode ser feita a partir dos registros do professor em relação as atividades que o aluno realiza, é comum ter uma monografia no final do ensino fundamental e do ensino médio. Podem existir provas também, dependendo de como a escola aplica a metodologia.

4. Escola Waldorf

Baseada nos estudos de Rudolf Steiner, expoente da Antroposofia, a pedagogia Waldorf visa o desenvolvimento integral da criança como ser humano, não apenas do aspecto intelectual. A premissa de Steiner é que a escola forme seres humanos por meio de uma “’educação para liberdade”.

Dentro dessa metodologia de ensino três aspectos são colocados em foco: o desenvolvimento corporal, anímico e espiritual, dentro das “fases de desenvolvimento do ser humano” que Steiner denomina de septênios, ciclos de 7 anos. Para desenvolver esses aspectos os alunos contam com um professor de classe que os acompanha durante todo um ciclo, além de aulas com outros professores para cobrir outras partes do currículo.

Dentro do currículo há uma presença muito forte de artes, trabalhos manuais, culinária e outros.

Forma de avaliação: Nessa abordagem, a avaliação engloba aspectos vão além do conteúdo. Habilidades sociais, virtudes, interesse e força de vontade são observada pelos professores por meio das atividades diárias. O mais importante para essa pedagogia são as etapas de desenvolvimento do estudante.

5. Escola Tradicional

Por fim, no método pedagógico tradicional o professor é a figura central, tido como o detentor do conhecimento, e o aluno é visto com uma “tábula rasa” onde o conhecimento será depositado. Esse é o método mais comum na maioria das escolas, onde há uma alta ênfase no conteúdo.

O foco do professor é a transmissão do conhecimento de forma clara para que o aluno aprenda e absorva de forma passiva. Nesse modelo existe a ideia de reprovação, quando os alunos não cumprem com as metas esperadas para o ano vigente.

Forma de avaliação: A avaliação é por meio de lições de casa, trabalhos e provas, que medem a quantidade de conteúdo que foi memorizada/absorvida. Um dos índices de sucesso é a aprovação dos alunos no vestibular.

Diferentes aplicações

As diferentes abordagens pedagógicas focam em pontos distintos, mas não existem uma melhor do que a outra.

Cada método pedagógico tem seus prós e contras, tudo depende de como é implementado e da adaptação dos alunos e da família com o processo.

Imagine o caso de Maria Luiza, uma menina de 10 anos muito curiosa que gosta de fazer muitas coisas ao mesmo tempo, mas também é muito disciplinada. Em uma escola com o método construtivista ela poderia desenvolver projetos em diferentes áreas do conhecimento e conciliar seus diferentes interesse. Esse processo de aprendizagem seria positivo para ela por conta da sua disciplina, pois dessa maneira ela não teria dificuldade em lidar com a liberdade que esse método pedagógico propõe.

Sua disciplina também seria uma grande aliada em uma escola com método mais tradicional, já que Maria Luiza consegue se organizar bem para estudar todo o conteúdo proposto. Esse processo de aprendizagem seria positivo para reforçar sua disciplina.

Já Laura que tem 11 anos, é mais introspectiva, gosta muito de pintar e de atividades de artes no geral, além de se dar muito bem com a natureza e todo tipo de atividade manual. Em um escola de pedagogia Waldorf ela poderia trabalhar ainda mais com esse tipo de atividade, entendendo como esse elas se relacionam com os conteúdos curriculares e com o seu desenvolvimento como ser humano.

O método Montessori também seria positivo considerando as características de Laura, pois ela poderia escolher as atividades que quer desenvolver em cada aula e ir avançando conforme fosse dominando cada atividade, trabalhando assim sua autonomia.

Conclusão

Lembrando que não existe uma resposta certa ou método melhor! O importante é acompanhar o desenvolvimento de cada criança e como ela se adapta a cada abordagem pedagógica.

Algumas escolas mesclam características de mais de uma pedagogia ao mesmo tempo, porém, é importante lembrar que a metodologia de ensino é apenas um dos fatores que compõe a forma de dar aula. Como falamos anteriormente, o ideal é analisar se as características do modelo pedagógico adotado na escola se adequam a personalidade e forma de desenvolvimento de cada criança.

E você conhece algum modelo pedagógico que não citamos? Compartilha com a gente!

Facebook Comments